Arquivo mensal: dezembro de 2017


Polêmica sobre a Prisão de Urandir: Ele é inocente

*+-Provas comprovam inocência de Urandir. Apresentamos aqui provas que mostram a inocência de Urandir Fernandes de Oliveira, quanto a sua prisão em Porto Alegre. Para quem não sabe Urandir sofre uma ofensiva perseguição por parte de uma linha ufológica brasileira, os quais não medem esforços para descredibilizar Urandir. Um dos pontos que mais se prendem nessa perseguição são acusações indevidas de vendas irregulares de terrenos em fazenda de sua propriedade no Mato Grosso do Sul. Abaixo, documento expedido pelo Ministério Público do RS em 11 de setembro de 2000, emitido 2 dias após a injusta detenção de Urandir no ano de 2000, comprovando que nada tinha de ilegal na atividade de Urandir. Mesmo com isso, ufólogos brasileiros ainda fizeram e fazem posteriores e insistentes acusações contra Urandir, utilizando-se desse fato sem mostrar as provas concretas que aqui trazemos.  


Urandir Oliveira – UFO

*+-Paranormal e contatado Urandir Fernandes de Oliveira, fundador do Dakila Pesquisas, uma associação composta por milhares de membros que buscam a evolução mental e efetuam pesquisas em diversas áreas do conhecimento como geologia, biologia, geografia, paleontologia, história, tecnologia, física, química entre outros. Os pesquisadores do Dakila Pesquisasl buscam também explicar fenômenos desconhecidos muitas vezes atribuídos à ufologia. Fonte: http://www.paranormalurandir.com.br/


Urandir Fernandes de Oliveira

*+-Paranormal e Ufólogo, foi contatado pela primeira vez aos treze anos de idade, quando, conscientemente, foi sugado de seu quarto e levado para uma nave através de um feixe de luz violeta. A partir desse acontecimento, constantemente foi visitado por luzes que se comunicavam com ele e sua paranormalidade foi evoluindo gradativamente. “Vou relatar o que aconteceu comigo, porque pode ser sua história – ou parte dela – com que alguns de vocês podem se identificar, ou para que entendam como cheguei até aqui, o porquê de tudo. No começo eram vozes. Eu as ouvia, sem saber de onde vinham. Isso começou aos nove anos de idade. Sentia também a presença de alguém junto a mim, escutava me chamarem, mas não identificava quem. Às vezes via alguns vultos. Com o passar do tempo, fui percebendo que, dependendo do meu estado emocional, ao chegar próximo de um eletrodoméstico, acontecia uma certa […]